• Músicas
  • A ForTuna orgulha-se de possuir um cancioneiro tão diverso e trabalhado quanto o que aqui apresenta.
Tuna Fortuna
  • Cervejaria

  • (Letra/Música: Nuno Bouça)

Ai as lembranças que eu trago
Dentro do meu coração
São tantas que eu já não sei
Se todas lá caberão

E enquanto vou meditando
Em tom existencial
Às cadeiras vou chumbando
E os copos vou emborcando
E o que é que eu sou afinal

(Refrão)

O curso de economia
É tramado p’ra passar
Mas isto é tão bom que eu queria
Nunca mais o acabar

Entretanto o curso dura
E o estudo é que não sai
Ora a curva da procura
Ora a curva da cintura
Alternando a coisa vai

(Refrão)

E se o tempo parasse
Com o cantar de uma cantiga
Se a tuna perpetuasse
O sorrir de uma rapariga
Cantaria para sempre uma canção
Se o hoje fosse p’ra sempre
E o amanhã fosse jamais
Não haveria nada entre o eterno
E o nunca mais
Ficaria para sempre folião

(Refrão)